terça-feira, 29 de novembro de 2011

Hipotireoidismo subclínico: tratar esta condição pode ajudar a aliviar alguns sintomas psiquiátricos como ansiedade, estresse e depressão...

Após revisar a literatura sobre o hipotireoidismo subclínico e algumas alterações de humor, o Dr. Russell Joffe, psiquiatra do North Shore-Long Island Jewish Health System e colegas concluíram recentemente que tratar esta condição poderia aliviar alguns sintomas psiquiátricos e até mesmo prevenir o declínio cognitivo futuro.
Em muitos pacientes com depressão, ansiedade e outros problemas psiquiátricos, os médicos também encontram níveis sanguíneos bastante alterados dos hormônios da tireoide. Sabe-se que tratar o problema pode levar a melhorias na memória, no humor e na cognição. Agora os cientistas estão avaliando se tratar o hipotireoidismo subclínico também traz benefícios para pacientes com problemas psiquiátricos.
Após revisar a literatura sobre o hipotireoidismo subclínico e algumas alterações de humor, o Dr. Russell Joffe, psiquiatra do North Shore-Long Island Jewish Health System e colegas concluíram recentemente que tratar esta condição poderia aliviar alguns sintomas psiquiátricos e até mesmo prevenir o declínio cognitivo futuro.
No hipotireoidismo subclínico, os pacientes não exibem sintomas de hipotireoidismo e têm níveis normais de hormônios tireoideos circulando no organismo. A única anormalidade é um aumento de TSH no sangue.
Os médicos ainda se questionam se é um problema na tireoide que causa sintomas psiquiátricos ou se na verdade acontece o contrário. A ideia de tratar o hipotireoidismo1 subclínico também é controversa entre os endocrinologistas. O tratamento hormonal da tireoide pode sobrecarregar o coração e agravar a osteoporose8 em mulheres. Por outro lado, alguns estudos sugerem que deixar de tratar esta condição pode aumentar o risco da doença de Alzheimer e de outras demências.
Novas pesquisas são necessárias para avaliar tal hipótese.


Até mais.


Fonte: New York Times
NEWS.MED.BR, 2011. Hipotireoidismo subclínico: tratar esta condição pode ajudar a aliviar alguns sintomas psiquiátricos como ansiedade, estresse e depressão. Disponível em: . Acesso em: 29 nov. 2011.

Diabetes Care: menos de meio litro de água ao dia pode aumentar a glicemia...

Pessoas que bebem menos de 500 ml de água por dia podem ser mais propensas a desenvolver níveis glicêmicos mais altos, de acordo com estudo publicado pelo periódico Diabetes Care. O estudo demonstra uma correlação entre a ingestão de água e os níveis de glicose no sangue, mas não prova a relação de causa e efeito entre eles. Suspeita-se de que o hormônio vasopressina possa estar envolvido.
Pesquisadores franceses descobriram que pessoas que tomam menos de 500 ml de água ao dia podem ter seus níveis glicêmicos aumentados. Estes achados foram publicados pelo periódico Diabetes Care.
A ingestão de água altera os níveis de vasopressina, um hormônio antidiurético, no sangue. Pesquisadores franceses realizaram um estudo com 3.615 homens e mulheres de meia idade, com glicemia de jejum basal normal. O estudo teve nove anos de seguimento.
Durante o acompanhamento, houve 565 novos casos de hiperglicemia e 202 casos novos de diabetes mellitus. A ingestão de água foi inversamente e independentemente associada ao risco de desenvolver hiperglicemia.


Até mais.


Fonte: Diabetes1 Care, de 12 de outubro de 2011
NEWS.MED.BR, 2011. Diabetes Care: menos de meio litro de água ao dia pode aumentar a glicemia. Disponível em: . Acesso em: 29 nov. 2011.

sábado, 12 de novembro de 2011

Miliária...

Entrevista da Dr. Giselle Guedes Pereira (CRM/SP 115636) sobre Miliária nas crianças, realizado hoje na TV Santa Cecília de Santos.

Até mais.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

EUA tentam conter venda de pirulitos infectados com catapora via internet...

Só faltava essa agora... Alguns pais do Estado do Tennesse (Estados Unidos), estão vendendo pela internet pirulitos "lambidos" e contaminados por seus filhos com catapora. A venda se dá pelo fato dos pais não acreditarem na vacina e até estão proporcionando a festa da catapora, para crianças ainda pequenas pegarem a doença quando crianças pois é mais fraco nesta idade do que quando adultos.
E lá é um país de primeiro mundo, com muito acesso a informação, livre... Mas uma idiotice dessa não dá para acreditar.

Até mais.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Irmã Dulce amplia leitos de UTI Neonatal e Pediátrica...

O Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande, passará a contar, a partir desta terça-feira, com mais 10 leitos de UTI Neonatal e Pediátrica. Com o aumento de unidades, a Cidade passa a ter um total de 20 leitos para as duas especialidades.

As internações em leitos de alta complexidade são resultados de uma parceria entre o Município e o Estado e visa atender toda a Baixada Santista.

“Temos participado de reuniões em que secretários de saúde reclamam da carência de vagas de UTI, principalmente a Neonatal e Pediátrica. Crianças acabam morrendo nos nos municípios por falta dessas vagas. Com a entrega desses leitos, esperamos reduzir significativamente a mortalidade de recém-nascidos em toda a Baixada Santista”, afirmou o prefeito Roberto Francisco.

De acordo com o secretário de saúde Pública, Adriano Springmann Bechara, o Irmã Dulce passa contar com leitos regionalizados para alta complexidade. “Ao ampliar o acesso à saúde para moradores de outras cidades, damos um passo muito importante na regionalização do hospital”, frisou. Para ele, apesar da unidade estar instalada em Praia Grande, o compromisso deve ser com toda a Baixada Santista. “Devemos ter uma mentalidade metropolitana e, acima de tudo, visando salvar vidas, sejam os pacientes daqui ou de qualquer lugar”.

Do total de leitos atuais do Irmã Dulce, 148 são custeados pelo município e 50 pelo Estado. A internação municipal se divide em 42 leitos para Clínica Médica; 29 para Clínica Cirúrgica; 26 para Maternidade; 19 para Pediatria; 12 para Clínica Cirúrgica Eletiva; 10 para Psiquiatria; 10 para UTI Neonatal. O atendimento conta ainda com cinco salas de Centro Cirúrgico.

Além dos 10 novos leitos de UTI Pediátrica, são mantidos pelo governo estadual 30 unidades de Clínica Cirúrgica e 10 de UTI adulto. Estão sendo finalizadas as entregas de outras unidades para leitos de alta complexidade com recursos estaduais, sendo 10 para Ortopedia; 10 para Cirurgia Geral; 10 Clínica Médica; 10 para Patologias Obstétricas.

Até mais.

Fonte: Atribuna.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Ambientalistas acusam Johnson & Johnson de usar produtos cancerígenos em xampu para bebê...

Ambientalistas norte-americanos encabeçam um boicote internacional contra a empresa Jonhson & Jonhson. O grupo denuncia a presença de duas substâncias químicas consideradas prejudiciais aos bebês nos xampus infantis da empresa vendidos nos Estados Unidos e em outros países.

As reivindicações para a remoção das substâncias causadoras de câncer -- formaldeído e 1,4-dioxano -- na composição do produto tiveram início há dois anos. Sem sucesso, o grupo agora apela aos consumidores pedindo um boicote à empresa até que ela se comprometa a fazer as devidas alterações.

Lisa Archer, diretora do Campaign for Safe Cosmetics (Campanha por Cosméticos Seguros), acredita que a Johnson & Johnson possa fazer um xampu mais seguro para os bebês, mas diz não ver nenhuma movimentação da empresa para mudar a composição do produto. "Claramente não há necessidade em expor os bebês a uma substância cancerígena. Todos merecem produtos mais seguros", disse, em comunicado.

Junto com a campanha de boicote, o grupo também divulgou nesta terça-feira (1º) o novo relatório da campanha: "Banheira do bebê ainda é tóxica". O documento foi baseado em um exame dos ingredientes do xampu Johnson's Baby em 13 países e inclui um abaixo-assinado com aproximadamente 3,5 milhões de assinaturas, incluindo a de ambientalistas, médicos e consumidores dos Estados Unidos e de outros países.

O relatório inclui ainda um termo que obriga a Jonhson & Jonhson a se comprometer publicamente a remover os produtos químicos de todos os seus produtos até 15 de novembro.

Em resposta às acusações, a Johnson & Johnson Consumo do Brasil disse, em nota, que todos os ingredientes utilizados nos produtos são seguros e aprovados pelos "órgãos reguladores de saúde nos países em que são comercializados, inclusive pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), no Brasil, e pelo FDA (Food and Drug Administration), nos Estados Unidos."

A empresa garantiu ainda que "médicos, cientistas clínicos e especialistas em toxicologia revisam regularmente os dados de segurança de todos os ingredientes utilizados nos produtos Johnson & Johnson." Também informou que, desde 2009, trabalha com a reformulação da linha para reduzir o nível de 1,4-dioxano. Mas não disse se iria responder ou atender às demandas da campanha.

Até mais.

Fonte: www.uol.com.br * Com informações da "msnbc.com".

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...