sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Pediatra "Delivery"...

Tema polêmico que saiu hoje na Folha de São Paulo, a respeito do atendimento pediátrico por telefone. (PEDIATRA DELIVERY)
Será mesmo isso correto? Evitar um atendimento presencial, mesmo com a afirmação que 70% dos casos podem ser resolvidos por telefone. E mais, atender sem conhecer o paciente ou mesmo ter vínculo médico-paciente não acho correto. 
O pediatra que conhece seu paciente, o histórico familiar, os problemas solucionados e os mais predispostos a aparecer no seu paciente, fazer um atendimento por email, telefone ou whatsapp , na minha opinião é correto, pois sabendo informações importantes decorrentes do acompanhamento presencial, é fato que na maioria das vezes evita o deslocamento da criança para as emergências dos hospitais.
Por isso , é importante as famílias terem 1 pediatra, repito , 1 pediatra, de confiança, que conheça a criança, que saiba seu histórico e da sua família, sendo assim , evitariam idas desnecessárias aos pronto-socorros.

Até mais.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Cansaço constante pode ser sinal de problema de saúde...


Você se sente cansado mesmo após uma boa noite de sono? Não se sente relaxado nem depois de voltar do final de semana? Tem vontade de voltar para a cama logo depois de acordar? O cansaço é uma resposta natural do organismo à correria e ao estresse do dia a dia. Mas quando ele se torna excessivo e constante, é melhor investigar: ele pode ser sinal de que algo não está muito bem com a sua saúde.
O excesso de tarefas e preocupações do dia a dia, a agenda lotada e corrida e a competitividade do mundo moderno deixam qualquer um cansado. No entanto, essa fadiga tende a ser pontual: ou seja, ela melhora após um bom período de descanso. Quando isso não acontece e a sensação de cansaço permanece por um longo tempo e se torna tão intensa que não há ânimo para fazer as tarefas mais simples, é importante buscar ajuda médica para avaliar adequadamente suas causas.
"O cansaço constante pode ser sintoma de várias doenças. As mais comuns são distúrbios de sono, estresse, depressão, hipotireoidismo, anemia, carência de determinadas vitaminas, doenças cardiovasculares e pulmonares, infecções e até tumores", aponta o neurologista Renato Anghinah, coordenador do Núcleo de Neurologia do Hospital Samaritano de São Paulo. "Por isso é importante procurar auxílio médico para encontrar as causas do problema e seguir com um tratamento adequado", diz.

Sinal de alerta

A fadiga é um dos primeiros sinais de que algo não vai bem com o coração. Quando o coração está dilatado ou fraco, ele não bombeia o sangue com eficiência, causando a sensação de cansaço. Esse é o caso de doenças como angina, insuficiência cardíaca e arritmia.
O cansaço constante também é um dos sintomas de doenças pulmonares. Nas doenças pulmonares crônicas, como asma, hipertensão arterial pulmonar (HAP) e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), há problemas na troca de oxigênio no corpo. Com pouco oxigênio, a pessoa acaba se sentindo cansada mesmo após pequenos esforços.
O diabetes também pode causar a sensação de cansaço. Isso porque a doença, quando não está controlada, causa desequilíbrio no metabolismo, afetando a nutrição adequada e o controle de líquidos do corpo.
Se você já acorda cansado, pode ser que o problema esteja na hora de dormir. Distúrbios do sono, como apneia, síndrome das pernas inquietas ou insônia, prejudicam a qualidade do sono e o descanso apropriado. E as noites mal dormidas se refletem na sensação de cansaço durante o dia.

Má alimentação

Os alimentos são o combustível do corpo. Uma dieta rica em gordura e açúcar e pobre em vitamina e nutrientes não nutre o corpo adequadamente, não fornecendo energia suficiente para as atividades do dia a dia. Daí a sensação de fadiga.
A deficiência de vitaminas e a anemia ferropriva (deficiência de ferro no organismo) são umas das causas mais comuns da fadiga. Além disso, alguma dietas muito restritivas podem ter déficit de albumina, o que tira a força do organismo e, consequentemente, causa a sensação de cansaço.

Fadiga crônica

Sentir-se cansado constantemente também pode ser sinal da chamada síndrome da fadiga crônica. "É uma coleção de sintomas que se manifesta principalmente por meio de uma queixa persistente em torno do cansaço, da falta de força, mesmo para as atividades triviais do cotidiano", explica o psicanalista Christian Ingo Lenz Dunker, professor do Instituto de Psicologia da USP.
A síndrome é ainda pouco conhecida. Embora seja classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma doença do sistema nervoso, pouco se sabe sobre suas causas. Ela geralmente aparece depois de alguma doença infecciosa, como gripe, resfriado ou sinusite. Porém, mesmo após a cura desses males, o cansaço e a indisposição persistem -- às vezes por mais de seis meses.

Cansaço mental

No mundo moderno, em que uma grande parcela da população trabalha em frente a um computador, e em que cada vez mais se exige pensamento rápido, criatividade e empreendedorismo, é muito fácil deixar o cérebro "cansado". E exigir que o cérebro trabalhe com energia total por períodos muito longos pode causar o esgotamento mental, causando a sensação de cansaço.
"Podemos dizer que o excesso de demanda da química necessária para manter o corpo e a mente ativados se 'esgotam' em algum momento", afirma Sergio Klepacz, psiquiatra do Hospital Samaritano de São Paulo. Essa química é composta por hormônios e neurotransmissores como cortisol e  noradrenalina. E essas substâncias sofrem uma queda durante períodos de estafa, causando falta de atenção, dificuldade de memória, perda de concentração, desânimo e, é claro, cansaço -- excessivo e constante.

Buscando ajuda

Se o problema persistir ou se agravar, é fundamental procurar auxílio médico para seguir com um tratamento adequado. "É fundamental o auxílio de um médico para o correto diagnóstico da causa. Só conhecendo a causa é possível tratar o problema", alerta Anghinah. 
Até mais.
Fonte: Uol

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Drastonolona e Androsterona...


Após sofrer uma lesão séria na perna há cerca de um ano, o lutador de MMA, Anderson Silva, retornou para o octógono com uma vitória sobre Nick Diaz. Mas não foi a vitória do “Spider”, como é conhecido, que vem sendo comentada nos últimos dias, e sim, o resultado do teste antidoping realizado dia 9 de janeiro, ou seja, três semanas antes da luta.
O exame revelou dois tipos de esteroides no organismo do brasileiro, a Drastonolona e a Androsterona. Mas o que são essas substâncias? O Dr. Alexandre Hohl, presidente da SBEM Nacional, explica cada uma delas, como agem no organismo e com qual finalidade uma pessoa utiliza esse tipo de substância.
Site da SBEM: O que é a Drastonolona?
Dr. Alexandre Hohl: A drastonolona é um derivado sintético da dihidrotestosterona. Este hormônio se liga fortemente ao receptor androgênico (AR) e tem atividade anti-estrogênica. Existem estudos do seu uso no tratamento do câncer de mama, mas atualmente não é utilizado com este fim terapêutico. Por ser um derivado da testosterona, tem uso ilegal como uma droga anabolizante. Apresenta um efeito de queima de gordura, sendo moderadamente androgênico e anabólico, o que produz os "efeitos estéticos". A drastonolona não aromatiza e assim evita o aparecimento de ginecomastia.
Por outro lado, existe o risco dos efeitos adversos de androgenicidade (acne, queda de cabelo etc), alterações hepáticas, entre outras.
“Estes hormônios utilizados em "ciclos de anabolizantes" são aplicados em altas doses. Como a androsterona tem uma meia-vida curta, as aplicações acabam sendo frequentes. Além de homens que buscam o efeito anabolizante, mulheres também usam essa droga. Porém, geralmente em doses menores, mas com o comum risco de virilização.”
Site da SBEM: O que é a Androsterona?
Dr. Alexandre Hohl: A androsterona também é um hormônio esteroide, porém com fraca atividade androgênica. Ele é um dos precursores da testosterona. O hormônio DHEA (de hidro epi androsterona) é precursor da androstenediona e do androstenediol, ambos precursores da testosterona.
Site da SBEM: Além de aumento da massa muscular, o que busca o indivíduo que usa essas substâncias?
Dr. Alexandre Hohl: De uma maneira geral, busca-se a melhora do desempenho físico. Quando falamos de atletas, isto significa que o seu rendimento pode ser artificialmente otimizado. A busca estética baseia-se na diminuição de massa gorda e aumento de massa magra. Todo esse efeito dependerá do tipo de anabolizantes, da dose usada, do tempo de uso e da intensidade de cada atividade física realizada concomitantemente.
Site da SBEM: Ambas são injetáveis ou podem ser, por exemplo, encontradas em comprimidos? Caso seja injeção, em quanto tempo lutador sente os efeitos?
Dr. Alexandre Hohl: A formulação mais comum é injetável. No mercado ilegal, são encontrados todos os tipos de formulações.
Em geral, são feitos "ciclos" de anabolizantes, de 8 a 12 semanas. Esses ciclos acabam sendo repetidos conforme o objetivo (estético ou competição). A ação dos hormônios começa imediatamente após a primeira aplicação.
Site da SBEM: Durante quanto tempo a substância fica no organismo?
Dr. Alexandre Hohl: Depende da droga e do tempo de uso. Esses hormônios podem ser detectados até alguns dias após a última aplicação. Já as suas consequências (efeitos adversos), podem durar semanas e até meses.
Site da SBEM: Onde é produzido no corpo a Androsterona?
Dr. Alexandre Hohl: Os androgênios (testosterona, precursores e derivados) são produzidos no homem basicamente nos testículos. Menos de 1% é produzido nas glândulas adrenais.
Na mulher, essa produção é dividida (50%) entre os ovários e as adrenais. A androsterona, na forma de DHEA, é produzida no corpo humano. Já a drastonolona, por ser sintética, não é produzida no corpo humano.
“Estes hormônios utilizados em "ciclos de anabolizantes" são aplicados em altas doses. Como a androsterona tem uma meia-vida curta, as aplicações acabam sendo frequentes. Além de homens que buscam o efeito anabolizante, mulheres também usam essa droga. Porém, geralmente em doses menores, mas com o comum risco de virilização.”
Até mais.
Fonte: www.endocrino.com.br

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Diferença entre Toddy "normal" e Light ...


No Toddy Light 1 colher de sopa (10g) tem 37Kcal e portanto 2 colheres (20g) 74Kcal. No Toddy normal , 2 colheres , 80Kcal. Portanto a diferença é pouca mas o preço é muito maior no Light. 
Usando menos quantidade que o habitual, já ajuda muito a diminuir as calorias ingeridas, sem a necessidade de aumentar os gastos com as compras.
O fato das latas não estarem iguais na referência, 1 colher nas duas, ou 2 colheres nas duas, pode passar desapercebido e o fato de comprar o Light, da uma falsa impressão que está ingerindo menos da metades das calorias que habitualmente consome.
Essa é a importância de saber ler o rótulo na hora de comprar.

Até mais.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Feto dentro de feto...

Ultrassom mostra a espinha dorsal dos dois fetos, encontrados no ventre de um bebê recém-nascido, em Hong Kong, em 2010
Uma recém-nascida de três semanas foi submetida a uma cirurgia para a retirada de dois pequenos fetos com idade entre oito e dez semanas, que estavam localizados em seu ventre. O caso clínico extraordinário aconteceu em 2010, mas só foi divulgado na última edição da revista científica "Hong Kong Medical Journal". A princípio, os médicos acreditavam que o bebê tivesse nascido com um tumor.
Os fetos tinham pernas, braços, espinha dorsal, costelas e intestinos. Um deles pesava 14,2 gramas e o outro 9,3 gramas. Ambos tinham cordão umbilical. A cirurgia, realizada por médicos do Queen Elizabeth Hospital, em Hong Kong, foi bem sucedida.
A condição é chamada de foetus in fetu (feto dentro de feto, em tradução livre) e ocorre em um a cada 500 mil nascimentos. Menos de 200 casos como esse foram registrados no mundo. Ainda não se sabe o que causa a condição.
"Era impossível detectar esta condição no ultrassom durante a gravidez, uma vez que os embriões eram muito pequenos", afirmou o ginecologista Yu Kai-man.
"Uma vez que seria impossível que o bebê tivesse engravidado na barriga da mãe, está claro que a fertilização dos dois fetos foi feita no momento da concepção, pelos pais da criança, o que pode ser chamado de gravidez múltipla", concluiu o médico responsável pelo caso. 

Até mais.
Fonte: UOL.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...