sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Anvisa alerta sobre achocolatados....

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitou nesta sexta-feira (30/9) que a Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo realize inspeção imediata na fábrica do achocolatado da marca Toddynho, em Guarulhos (SP). O pedido da Agência é resultado da ocorrência de casos de queimaduras na boca de quatro crianças que ingeriram o referido alimento, em três municípios do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, Canoas e São Leopoldo.

De acordo com o Centro Estadual de Vigilância em Saúde do Rio Grande do Sul, que investiga os casos, os primeiros resultados de análise laboratorial apontam um pH de 13,3, considerado muito alcalino para alimentos. Os desvios de qualidade no composto alimentar sabor chocolate fortificado com vitaminas da marca Toddynho foram encontrados em dois lotes: L4 32 06:08 e L4 32 06:09, com data de validade até 19/02/2012. Como forma de prevenção, a vigilância sanitária gaúcha realizou a interdição cautelar de todos os lotes do alimento no estado.

A empresa PesiCO, responsável pela produção do Toddynho, informou que houve uma falha durante a fabricação. Por precaução, consideram-se suspeitos os lotes com numeração de L4 32 05:30 a L4 32 06:30, com data de vencimento em 19/02/2012. A empresa declarou que esses lotes foram distribuídos exclusivamente para o Rio Grande do Sul.

Além disso, o Centro Estadual de Vigilância em Saúde do Rio Grande do Sul emitiu um alerta epidemiológico para todas as Coordenadorias Regionais de Saúde. O Centro de Informações Toxicológicas do estado também foi notificado do caso.

Recomendação ao consumidor

Quem possuir em casa os lotes do produto considerados suspeitos não devem consumir o alimento. Caso seja notada qualquer alteração nos aspectos do produto, a Vigilância Sanitária local deve ser informada. Os consumidores do Rio Grande do Sul podem contatar a vigilância sanitária pelo número 150.

A Anvisa também dispõe de uma Central de Atendimento: 0800 642 9782. Já os consumidores que desejarem entrar em contato com a empresa podem ligar para o 0800 703 2222.

Até mais.

Fonte: Anvisa.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Mc Donalds mais saudável...

A partir do dia 1º de outubro os frequentadores da rede Mc Donald's notarão algumas mudanças no cardápio. Com menos calorias, sódio e açúcar, os lanches terão sua composição alterada para uma alimentação mais nutritiva.

Pães, nuggets, queijos e ketchup terão em média 10% a menos de sódio, já as bebidas à base de fruta terão quantidade de açúcar reduzido em quase 40%, passando a ter limite de 5 g por 100 ml.

Outra mudança é a nova opção de salada com cinco tipos de folhas (chicória, radicchio, escarola e alfaces americana e romana) e tomates-caprese, que além de ter sua quantidade aumentada em comparação com a que já existe na rede, contará com mais vitaminas, minerais e menos calorias.

As novidades do cardápio são fruto de pesquisas conduzidas pela rede e fornecedores durante dois anos.

Mc Lanche Feliz

Um dos produtos ícones da empresa também passará por mudanças. Um novo item foi adicionado às caixinhas: uma porção de frutas em pedaços como sobremesa. A primeira opção disponível será de maçãs.

Uma nova porção de fritas, chamada de McFritas Kids, também será novidade no lanche e terá 100 calorias, menos da metade da versão anterior.

Até mais.

Fonte: UOL.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

VICTOZA (liraglutida) : indicações...

A Diretoria Colegiada da Anvisa faz esclarecimentos para veículos de imprensa e para instituições ligadas à saúde (como o Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Saúde (Conass), Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde (Conasems) e Conselho Federal de Farmácia) sobre as indicações do medicamento Victoza (liraglutida), e afirma que a medicação é indicada para o tratamento de diabetes tipo 2 e não deve ser usada para emagrecimento.
Em nota, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) esclarece que o Victoza é um produto “biológico”. Ou seja, trata-se de uma molécula de alta complexidade, de uso injetável, contendo a substância liraglutida. O medicamento, fabricado pelo laboratório Novo Nordisk, foi aprovado pela Anvisa para comercialização no Brasil em março de 2010, com a finalidade de uso específico no tratamento de diabetes tipo 2. Portanto, seu uso não é indicado para emagrecimento.
A indicação de uso do medicamento aprovada pela Anvisa é como “adjuvante da dieta e atividade física para atingir o controle glicêmico em pacientes adultos com diabetes mellitus tipo 2, para administração uma vez ao dia como monoterapia ou como tratamento combinado com um ou mais antidiabéticos orais (metformina, sulfoniluréias ou uma tiazollidinediona), quando o tratamento anterior não proporciona um controle glicêmico adequado”.
A agência ainda esclarece que trata-se de um medicamento “biológico novo” e, embora pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos, que nesses casos devem ser informados ao médico.

Em estudos clínicos e nos relatórios apresentados à Anvisa foram relatados eventos adversos associados ao Victoza (liraglutida), sendo os mais frequentes: hipoglicemia, dores de cabeça, náusea e diarreia. Além destes eventos destacam-se outros riscos, tais como: pancreatite, desidratação e alteração da função renal e distúrbios da tireoide, como nódulos e casos de urticária.
Outra questão de risco associada aos produtos biológicos são as reações de imunogenicidade, que podem variar desde alergia e anafilaxia até efeitos inesperados mais graves. No caso da liraglutida, a mesma apresentou um perfil de imunogenicidade aceitável para a indicação como antidiabético.
Para o caso de inclusão de novas indicações terapêuticas deve-se apresentar estudo clínico Fase III comprovando a eficácia e segurança desta nova indicação.


Até mais.


Fonte: Anvisa



NEWS.MED.BR, 2011. Victoza (liraglutida): Anvisa esclarece sobre as indicações do medicamento. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 2011.

domingo, 18 de setembro de 2011

Prato saudável...

Substituição da pirâmide alimentar pelo prato saudável...

Até mais.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

LORCASERIN: novo medicamento para emagrecer...

O ensaio clínico randomizado, conhecido como BLOSSOM Trial, publicado pelo Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, mostrou que o lorcaserin – um novo medicamento para ajudar na perda de peso de adultos obesos e com sobrepeso, pode vir a ser uma nova opção para pacientes que precisam emagrecer.
O lorcaserin é um agonista seletivo do receptor 2C da serotonina. O novo medicamento foi estudado em ensaio clínico randomizado, controlado por placebo, duplo-cego, incluindo 4.008 pacientes, com idades entre 18 e 65 anos, com índice de massa corporal entre 30 e 45 kg/m² ou entre 27 e 29,9 kg/m² e com uma patologia associada à obesidade.
Os pacientes obtiveram orientações dietéticas e sobre atividades físicas e foram divididos em três grupos que receberam:
-10 mg de lorcaserin duas vezes ao dia.
-10 mg de lorcaserin uma vez ao dia.
-Placebo.


Ecocardiogramas monitoraram as funções das válvulas cardíacas.
Os resultados mostraram que mais pacientes tratados com lorcaserin, duas vezes ao dia ou uma vez ao dia, perderam pelo menos 5% do seu peso corporal (47,2% e 40,2% respectivamente) comparados aos que usaram placebo (25%). Uma perda de peso de pelo menos 10% do peso corporal foi alcançada por 22,6% e 17,4% dos pacientes recebendo 10 mg de lorcaserin duas ou uma vez ao dia, respectivamente, e por 9,7% daqueles em uso de placebo. Cefaleia, náuseas e tonturas foram os principais efeitos colaterais. O U.S. Food and Drug Administration (FDA) definiu que as valvulopatias documentadas ao ecocardiograma ocorreram em 2% dos pacientes recebendo lorcaserin duas vezes ao dia e em 2% daqueles que receberam placebo.

O presente estudo mostra que o lorcaserin, administrado em conjunto com modificações no estilo de vida, está associado à perda de peso dose dependente.
Ainda não se sabe se o medicamento será aprovado para a comercialização.

Até mais.


Fonte: The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism
NEWS.MED.BR, 2011. Lorcaserin: novo medicamento para emagrecimento mostra sucesso em ensaio clínico, segundo artigo do Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism. Disponível em: . Acesso em: 12 set. 2011.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Ultrasom pélvico é útil na monitorização da puberdade precoce nas meninas...

Esse estudo foi realizado para verificar a correlação da ultrassonografia pélvica transabdominal na monitorização do tratamento da puberdade precoce das meninas.
Observou-se que o LH, FSH e o Estradiol não são bons parâmetros para indicar uma boa supressão hormonal no controle do tratamento da puberdade precoce.
A ultrassonografia pélvica transabdominal apresenta bons parâmetros dentre eles o desaparecimento do eco endometrial em 100% das meninas acompanhadas neste estudo após 6 meses de tratamento e isso seria um bom indicador de sucesso no tratamento, o outro seria em relação a estabilidade no comprimento uterino.
O tamanho ovariano pode aumentas pois cresce em decorrência da estimulação residual do FSH. Portanto, os autores concluíram que os parâmetros uterinos e a ausência de eco endometrial na ultrassonografia pélvica abdominal após 6 meses de tratamento são bons indicadores de um correto objetivo terapêutico, sendo melhor do que o parãmetro ovariano.

Até mais.

Fonte: Liat de Vries et cols. Pelvic ultrasound examination in girls with precocius puberty is a useful adjunt in gonadotrophin-releasin hormone analogue therapy monitoring. Clinical endocrinology Sept (2011) 75, 372-377.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Efeitos na tireóide com o tratamento com metformina em pacientes com SOP...

A metformina é a droga mais utilizada no tratamento do diabetes tipo 2. É uma medicação segura pois dificilmente há interações medicamentosas clinicamentes relevantes em comparação com outras medicações usadas para o diabetes, com exceção dos folatos e vitamina B12.
Usa-se há mais de 50 anos e só recentemente foi observado alguma relação com os níveis de TSH.
Neste estudo, o uso de metformina em pacietes com SOP (Sìndrome dos ovários policísticos) e com hipotireoidismo, os níveis de TSH podem diminuir bastante, mesmo nos tratados com levotiroxina, quanto os não tratados, sendo recomendado a monitorização do TSH e T4livre.
O mecanismo pelo qual isso ocorre é ainda desconhecida. Já em pacientes com SOP e eutireoidismo, os níveis de TSH não foram observados mudanças significativas.

Até mais.

Fonte: Thyroidal effect of metformin treatment in patients with polycystic ovary syndrome. Rotondi, Mario et cols. Clinical Endocrinology Sept (2011) 75, 378-381.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

A Pediatria será extinta?

Pediatria e anestesia são especialidades mais escassas do país, aponta estudo


Um levantamento feito pelo Ministério da Saúde nos hospitais apontou que duas especialidades dominam o índice de carência no país: pediatras (32,1%) e anestesistas (30,5%) são os mais difíceis de serem contratados. Psiquiatria (28,8%), neurologia (23,6%), neurocirurgia (20,6%) e medicina intensiva (17,6%) também aparecem com índices significativos e devem ter as carreiras incentivadas, segundo dados do “Estudo da necessidade de Médicos Especialistas no Brasil”, feito em outubro de 2009.

Os números apontam que há uma grande falta de pediatras. O banco de dados do CFM aponta que existem 16.089 profissionais com registro ativo. A OMS (Organização Mundial da Saúde) aponta que deveria existir um médico para cada 20 mil habitantes. Para alcançar essa média, o Brasil precisaria de mais 21 mil pediatras.

A escassez de pediatras estaria atrelada à baixa remuneração que os profissionais recebem. Alguns deles desistiram da "exclusividade" da profissão e já dividem a carreira médica com outra especialidade para complementar a renda. A médica Patrícia Costa Pinto relata que sonhava ser pediatra ao concluir o curso, mas diz que se viu obrigada a seguir, em paralelo, outra especialidade, a hematologia. "O médico recebe hoje não é o que recebia há 20 anos. A pediatria não é uma especialidade que tem outros procedimentos; é só a consulta. E viver só com o valor pago de consultas de plano de saúde ficou complicado", disse.

Segundo ela, a hematologia tem outros procedimentos, além da consulta, que complementam a sua renda. "Na primeira oportunidade que tive de estudar outra especialidade, fui. Hoje a hematologia me dá mais oportunidades de mercado do que a pediatria. É por isso que a especialidade está cada vez menos escolhida pelos colegas", afirmou.

Residências mal distribuídas

O levantamento do Ministério da Saúde realmente apontou a existência de desequilíbrios regionais na oferta de especialistas, além da suboferta ou escassez de médicos e dificuldades no recrutamento de médicos especialistas. Além disso, há uma má distribuição de residências médicas para formar especialistas.

Segundo os dados, existe uma distribuição inadequada de vagas de residência médica no país. A região Norte tem apenas 3% desses cursos de especialidades médicas no país. Já o Centro-Oeste tem 7% e o Nordeste, 19%. O Sudeste concentra 60% das residências brasileiras.

"Não concordamos que faltam médicos no país, mas concordamos que existem especialidades em que há carências de profissionais. O Ministério da Educação fez esse levantamento está qualificando os profissionais e direcionando para a necessidade. Mas nesse caso também há concentração regional, mas foi lançado um programa, o Pró-Residência, que tem a intenção de abrir novas residências. Mas só se pode abrir uma nova com um hospital adequado, e tudo isso requer investimento, para habilitação de centros para estudo”, afirmou o vice-presidente do CFM, Carlos Vital.

Até mais.

Fonte: www.uol.com.br.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...