sábado, 2 de maio de 2015

Zika vírus...



Circula em Teresina um novo vírus identificado como Zika que tem os sintomas semelhantes ao da dengue e chikungunya. A informação foi confirmada pela gerente epidemiologia da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Amariles Borba.
“Essa doença, a Zika, tem os mesmos sintomas da dengue e chikungunya. O vírus circula em Teresina, tem algumas notificações suspeitas, mas somente daqui a dois meses saberemos quando o laboratório de Belém liberar os resultados. O criatório é dentro de casa e no local de trabalho e não existe vacina”, disse Amarilis.
Segundo pesquisadores, o Zika vírus foi isolado pela primeira vez no fim da década de 1940, através de estudos realizados em macacos rhesus que habitavam a floresta de Zika, na Uganda. 
O primeiro caso bem documentado em um humano data de 1964, com os mesmos sintomas observados atualmente: exantemas (manchas na pele), febre e dor no corpo. O primeiro surto da doença observado fora dos continentes da Ásia e da África foi registrado em 2007, na Oceania. Hoje, se sabe que mosquitos da família aedes (aegypti, africanus, apicoargenteus, furcifer, luteocephalus e vitattus) são os principais vetores da doença.
Sintomas
Diferenciar a dengue, chikungunya e Zika somente em situações sutis. A zika, o paciente tem febre, moleza, manchas vermelhas ou bolhas no corpo, inflamação nas articulações e artrite, vermelhidão nos olhos, dores nos músculos, na cabeça e olhos. 
Amariles Borba ressalta que a prevenção é combater o mosquito. “Quanto maior o poder aquisitivo, maior é o número de mosquito. O Aedes Aegypti não olha o contra cheque e nem o grau de instrução”, ressaltou Amarilis.  
Ela lembrou que o aedes aegypti pode transmitir sete doenças e algumas delas aparecerem ao mesmo tempo na pessoa.
“O mosquito pode transmitir quatro tipos de dengue, febre amarela, zyca e o chikungunya, assim como seus parentes, que também podem transmitir doenças. Em Teresina encontramos 17 tipos de muriçocas, por isso é importante acabar com os criadouros”, diz Amariles.
Ela acrescenta que um mosquito pode viver por dois anos e um mosquito fêmea é capaz de colocar mais de 200 óvulos de uma só vez. 
“E o mosquito infectado com vírus tem uma compulsão por sangue, o que nos deixa mais vulneráveis. Não tem vacina, nem remédio, o único jeito é acabar com o mosquito”, enfatiza.
Exames
A médica informou que foram enviados para o Instituto Evandro Chagas 209 exames colhidos em pacientes de Teresina. Onze deles já foram devolvidos com resultados negativos para chikungunya. E o Hospital de Infectologia Natan Portela está coletando os casos suspeitos de Zyca, onde foram coletadas 25 suspeitas.
Até mais.
Fonte: Cidadeverde.com

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...